domingo, janeiro 04, 2009

QUEBRANDO TODAS AS REGRAS LUIZ CARLOS PINTO É PREFEITO DE CAXAMBU

QUEBRANDO TODAS AS REGRAS

LUIZ CARLOS PINTO

É PREFEITO DE CAXAMBU










Não há político que, para ser eleito, prometa mundos e fundos para seus eleitores. Com o médico Luiz Carlos Pinto, que foi empossado no dia 1º de janeiro deste ano, prefeito de Caxambu , não foi assim. Ele nada prometeu e disse porque. Foi assim que, quebrando as regras da propaganda política ele conseguiu chegar à prefeitura de Caxambu.

Realismo e responsabilidade nortearam sua campanha. Ele não sabia como estava a prefeitura que iria receber no que tange à verbas e dinheiro em caixa. E não sabe ainda. Há um dinheiro que poderá entrar, o chamado dinheiro virtual:

“Existe um valor virtual, de sete milhões. Realmente existe. Mas é dinheiro que estamos para receber. Chama-se de dívida do município, à receber. Pagamento de tributos.
A antiga gestão não quis ou não teve meios de mexer com isto. Ela foi empurrando com a barriga.

Vamos falar sobre o dinheiro que você tem à mão e do que tem vontade de ter à mão. Do que a prefeitura pode ter à mão não sei. Eles ainda não me entregaram nenhum relatório. O banco só me apresentará o que tem depositado depois que eu for lá com meus documentos e provar que sou o novo prefeito da cidade.

Ninguém da gestão antiga me apresentou os relatórios de caixa e outros mais. A idéia que eu faço, baseado na última reunião que tive na prefeitura, , para que eles me entregassem as chaves e mais algumas coisas necessárias, é do que o Sr. Isaac ,o antigo prefeito, me disse:” que eu ia ter muita dificuldade para administrar porque não tem dinheiro.”

Há também as dívidas contraídas pelo município com outros órgãos. Existe uma dívida enorme com a Copasa, Companhia de ‘Água e Saneamento de Minas Gerais, feita pela gestão anterior a esta que estou recebendo. Quase 600 mil reais de água. O Sr. Isaac pagou alguma coisa, fez depósitos em juízo, pois discordava desta quantia no que concordo com ele. Mas acredito que tenha outras formas de negociar este valor. Vamos ver."


INSEGURANÇA

É só sentar num restaurante, parar para tomar um cafezinho na Del fraro que a gente houve de uma parte da população que está profundamente insegura por não saber o que o prefeito eleito fará para Caxambu sair o brejo onde está. Nisto todos concordam ; a cidade está no brejo, no fundo do poço, maltratada, a população com a estima no mais baixo patamar. Antes a cidade possuía cerca de 30 mil habitantes. Hoje tem 16 mil. Todos saíram em busca de emprego e estudo. E o prefeito compreende a situação da insegurança.




“E com razão, né? Tudo o que é diferente assusta. Sabe por que? Vou te falar uma coisa. Todo mundo está acostumado com pessoas que já tem um poder econômico maior, são donos de pequenas indústrias, ou proprietários de outras empresas... então para eles estas pessoas é que sabem administrar.

Eles ficam com medo de pessoas que não tem formação administrativa, mas esquecem que a casa da gente é um pequeno negócio, esquecem que meu consultório mesmo é um pequeno negócio, esquecem que se eu não fizer direito a administração da minha casa e do consultório, vai tudo para o beleléu . É preciso diariamente administrarmos as mais variadas situações. Então eu não tiro a razão deles. O medo deles é isto!

Eles esquecem que a administração pública não é feita somente pelo prefeito e sim por um grupo de pessoas da área financeira, contábil, da área de ensino etc. Não é só o prefeito que centraliza e administra. Centralizar atrapalha. É preciso delegar poderes e atribuições. Lógico que, em determinado momento eu terei de avalizar tudo, analisar as propostas.”


Não tem também o fator de que as pessoas já chegam nos cargos com as promessas fechadas?


“Mas não cumprem! Olha quando eu falava com as pessoas dizia que este negócio de que vou fazer, vou acontecer, é mentira! Eu não sei ainda o que posso fazer. Enquanto não me apresentarem as contas da prefeitura nada posso prometer. A não ser lealdade. Isto posso prometer porque sei que posso cumprir : lealdade, dignidade. Isto eu sei que posso ser, leal e digno ! Agora prometer que vou trazer fábricas, empregos... isto é um desrespeito para com o povo.

Sempre disse que falta, dentre outras coisas, em Caxambu, a chamada identidade. Quem é Caxambu?
Então eu penso assim: vamos falar do parque das águas, que sempre foi a marca de caxambu e está sucateado. Então vamos resolver primeiro isto. Com isto eu pretendo trazer turistas, não só os do Brasil, mas se o aeroporto que já tem mil e quinhentos metros de pista estiver no ponto eu posso trazer turistas do mundo inteiro.

Vou falar da minha idéia para caxambu. Caxambu faz parte da estrada real. E a estrada real tem seis ou sete aeroportos. Um deles está aqui. Está pronto, mas falta a sala de recepção para o embarque e desembarque de passageiros e os hangares.

Não temos como receber estas pessoas lá. Noutro dia esteve aqui o Ministro da Educação e veio visitar o aeroporto. Se algum de nós quisesse fazer xixi só teria o mato para isto. Portanto, precisamos construir as instalações adequadas. Hoje as pessoas usam o aeroporto para fazer aeromodelismo e andar de bicicleta. Não é este o fim.

Temos 1.500 metros de pista com espaço para construir mais 500 metros. Agora é procurar viabilizar isto."

NOVOS PREFEITOS

Os prefeitos empossados na última quinta-feira, 1º de janeiro, sabem que a crise mundial está às nossas portas o que diminuirá o rítmo da atividade econômica e com isto a arrecadação de tributos. Quem fica com os tributos arrecadados pelas prefeituras é o governo federal que depois os repassa aos municípios descontando a dívida que cada um possa ter com ele. Caso o governo federal, o estadual e o municipal não diminuam os gastos, enxugando a máquina administrativa, certamente a dívida pública crescerá.

As prefeituras dependem do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que é
uma transferência constitucional (CF, Art. 159, I, b), composto de 22,5% da arrecadação do Imposto de Renda e do Imposto sobre Produtos Industrializados. A distribuição dos recursos aos Municípios é feita de acordo o número de habitantes. São fixadas faixas populacionais, cabendo a cada uma delas um coeficiente individual. O mínimo é de 0,6 para Municípios com até 10.188 habitantes.


ÁGUAS MINERAIS


“Pois é... na segunda –feira terei reunião com o pessoal da COPASA, será uma outra
empresa que irá refazer o contrato.
Minha idéia é aproveitar todos os funcionários. Fazer com que voltem imediatamente ao trabalho pois eles já são especializados no que fazem.
Não precisamos trazer ninguém de fora da cidade para, depois, inchar o município com mais pessoas desempregadas.
Só que, agora, eles precisarão fazer um concurso. Os funcionários antigos.
A prefeitura se encarregará de montar cursos noturnos e preparará estes funcionários para as provas que precisarão fazer. As aulas serão gratuitas. Aproveitaremos professores da própria prefeitura para ministrar estas aulas.

Mas é bom ter claro que caxambu precisa ser revitalizada e precisamos fazer alguma coisa diferente para isto.

NA TERÇA-FEIRA TEREMOS MAIS ENTREVISTA COM O PREFEITO LUIZ CARLOS PINTO

Um comentário:

Antônio Carlos disse...

Somente agora encontrei este blog, falando sobre minha querida Caxambu, cidade onde vívi e criei meus filhos por 20 anos. Conhecí pessoalmente o Dr. Luiz Carlos, desde seu retorno a cidade. Trabalhei com ele no Parque das Aguas, onde tinha uma Farmacia de Manipulação, diga-se de passagem, uma das primeiras do Sul de Minas, conhecí o ser homem, o medico Dr. Luiz Carlos Pinto e sei do que ele é capaz, pessoa sem comprometimento, que ama sua cidade. foi realmente uma pena eu ter me mudado antes de ver as oligarquias cairem.