sexta-feira, maio 16, 2008

"poesia e outras bobagens"




poesia e outras bobagens



emtra.jpg

paulo de toledo


"Décio Pignatari em: Cultura Pós-Nacionalista, RJ, Imago, 1998, p. 64.

"A maior parte dos artistas contribui com inovações periféricas, não-antagônicas em relação a uma criação anterior. Os grandes criadores — os inventores, de Ezra Pound — contribuem com signos novos estruturais antagônicos em relação ao sistema anterior que não os pode absorver sem destruírem-se. Por isso os combatem. Um signo novo estrutural tem função crítica e metalingüística: ele ameaça o sistema de valores preexistente apontando para a possibilidade de um novo sistema. Em termos de teoria da informação, ele se apresenta como ruído 'ininteligível'. O signo novo estrutural é o signo revolucionário (Mallarmé e Joyce; Webern e Cage; Mondrian e Marcel Duchamp; Griffith, Welles, Eisenstein, Resnais, Godard). As informações de primeiro grau dizem respeito à estrutura das coisas — mesmo porque a estrutura das coisas é sua mensagem (N. Wiener).

in paulo de toledo



Nenhum comentário: